Para algumas pessoas ‘notícia’ só é boa quando alguém conhecida morre ou é presa

Para algumas pessoas ‘notícia’ só é boa quando alguém conhecida morre ou é presa

Infelizmente o público consumidor de notícia em nossa região está acostumada com a tragédia. Basta acontecer algum acidente ou prisão para que haja alvoroço nas redes sociais, principalmente nos grupos de fofocas camuflados de ‘notícias’. Quando as jornalistas e editores de site publicam notícias do cotidiano o interesse é muito pouco, ou quase nenhum. Mas, quando na manchete da reportagem está escrito em letras garrafais e em negrito: “HOMICÍDIO’ ou “PRESO” a curiosidade bate.

No entanto, a curiosidade é motivada não pela notícia, como deveria ser. A curiosidade é para saber quem morreu ou quem foi preso. E não basta apenas narrar o fato, é preciso mostrar a foto para os ‘urubus da internet’. Logo escrevem: tem foto da pessoa viva ou morta?

Querem fotos das vítimas, ou envolvidos, para compartilharem e fazerem julgamentos. Falando em julgamento: o que mais temos hoje nas redes sociais são pessoas sem qualquer senso crítico formado querendo dar opinião sobre tudo e todos. São os senhores juízes da internet.

São poucas as pessoas interessas no factual diverso. Estamos vivendo o pior momento da humidade; o momento do quanto pior melhor.