20.9 C
Gravatá

Violência atinge crianças e adolescentes no Grande Recife direta e indiretamente em abril

recife

A violência armada muda para sempre a vida de quem é atingido por ela. Em abril, crianças e adolescentes foram vítimas constantes dos tiros na Região Metropolitana do Recife. A morte da pequena Heloysa Gabrielle, de seis anos, já havia causado comoção em março: ela brincava no terraço quando foi atingida por um tiro no peito. Já em abril, duas crianças foram baleadas no Grande Recife, de acordo com o relatório mensal lançado hoje (4) pelo Instituto Fogo Cruzado. Felizmente, todas sobreviveram. Entre os adolescentes, 11 foram baleados: seis morreram.

O impacto da violência armada mexe com toda a estrutura familiar. Os pais sofrem quando os jovens são as vítimas. Os jovens sofrem quando as vítimas são as mães. E é especialmente chocante quando as crianças presenciam homicídios. Oito mulheres foram mortas neste mês que passou: a grávida Kariny Tavares Vicente da Silva, de 22 anos, foi morta a tiros quando estava na frente da filha de 3 anos no dia 13; outra mulher foi atingida na frente dos dois filhos, no dia 12.

banner prefeitura

Para Romero Silva,  parceiro do Fogo Cruzado em Pernambuco, a presença da violência na realidade de crianças e adolescentes abala o desenvolvimento deles como cidadãos.

“A violência constante e a proximidade com a morte é parte do cotidiano de jovens nas grandes periferias urbanas, e isso repercute em como esses jovens se relacionam e apontam suas perspectivas de futuro”, afirma o psicólogo. A exposição de crianças em episódios violentos, como assassinatos dos próprios pais gera impactos diretos em sua formação “A primeira infância é a fase de desenvolvimento da personalidade de cada pessoa. Certamente teremos implicações psicológicas graves nessas crianças, expostas tão cedo a tamanha violência. É importante não tratar essas situações violentas como causalidades, mas fazer o enfrentamento com  políticas públicas de segurança, de forma séria e responsável por salvar vidas”, analisa Romero.

O problema visto em Pernambuco é, infelizmente, de alcance nacional. Um estudo produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostrou que 1.300 mulheres foram vítimas de feminicídio no Brasil em 2021. A partir destes números, pesquisadores concluíram que o feminicídio deixou cerca de 2.300 órfãos no Brasil.

O mapa da violência

Entre os municípios que fazem parte da Região Metropolitana do Recife, os cinco mais afetados pela violência armada foram:

  • Recife: 64 tiroteios, 54 mortos e 23 feridos
  • Jaboatão dos Guararapes: 35 tiroteios, 31 mortos e 14 feridos
  • Cabo de Santo Agostinho: 23 tiroteios, 19 mortos e 3 feridos
  • Camaragibe: 15 tiroteios, 10 mortos e 6 feridos
  • Paulista: 9 tiroteios, 4 mortos e 7 feridos

Os cinco bairros mais afetados pela violência armada em abril foram:

  • Ponte dos Carvalhos (Cabo de Santo Agostinho): 9 tiroteios, 7 mortos e 2 feridos
  • Cajueiro Seco (Jaboatão dos Guararapes): 7 tiroteios, 3 mortos e 3 feridos
  • Cohab (Recife): 5 tiroteios, 6 mortos e 2 feridos
  • Afogados (Recife): 5 tiroteios, 4 mortos e 1 ferido
  • Barra da Jangada (Jaboatão dos Guararapes): 4 tiroteios, 6 mortos e 3 feridos

Deixe seu comentário:

Comentário:

Leia também:

- Advertisement -
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Bloqueador de anúncios detectado!!!

Detectamos que você está usando extensões para bloquear anúncios. Por favor, ajude-nos desativando este bloqueador de anúncios.

Powered By
CHP Adblock Detector Plugin | Codehelppro