Promotoria de Gravatá vai investigar elevação no preço de material de construção

O Ministério da Público de Pernambuco, através da promotora Doutora Fernanda Henriques da Nóbrega, deverá abrir um procedimento investigatório para apurar possíveis abusos nos preços de materiais de construção praticado em Gravatá, agreste Pernambuco.

Em alguns armazéns o preço do cimento subiu de R$ 19 para 29 reais em apenas três meses, uma variação 52.63%. O preço médio de 1000 tijolos subiu de R$ 350 para 650 reais no mesmo período, uma variação para mais de 85.71%.

Construtores estão ameaçando parar as atividades por conta da elevação no preço destes e outros produtos. Os itens que não sofreram elevação, no mesmo período foram areia grossa, areia fina e brita.

É provável que o Ministério Público apure o preço que os produtos estão sendo comprados, mediante apresentação obrigatória de NOTA FISCAL DE COMPRA. Empresas que estão comprando sem nota fiscal e repassando produtos com preços acima do mercado podem responder processo criminal e perderam o alvará de funcionamento.