No rádio, ex-prefeito de Gravatá diz que secretária de educação não comanda a pasta, porém uma ficha suja está no controle

Ex-prefeito de Gravatá se defende de acusações feitas por membros da executiva municipal comandada pelo ex-padre Joselito

O ex-prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB), concedeu entrevista na manhã desta terça-feira (5) na Rádio Nova FM. O político, que também é pré-candidato a deputado estadual, falou sobre as acusações da secretária de educação do ex-padre Joselito (PSB). A secretária alegou que o gerenciamento do ex-prefeito deixou várias escolas ‘esculhambadas’, conforme fala do apresentador do programa, José Fábio.

Por outro lado, Joaquim Neto alegou que antes de entregar a prefeitura fez um registro fotográfico de todas as escolas da rede municipal, como forma de garantir que nenhuma informação fosse divulgada de forme duvidosa pela atual gestão.

banner prefeitura são joao

Para esquentar ainda mais a entrevista, Joaquim disse que a secretária de educação de Gravatá não manda na pasta e que uma pessoa ‘ficha suja’ é quem ditava as regras: “ela não tem competência para isso. Todo mundo sabe quem está comandando lá”, afirmou o ex-prefeito sem citar o nome da ‘ficha suja’.

Joaquim Neto disse que deixou todas as escolas prontas para o retorno as aulas, inclusive com todos os protocolos contra a COVID-19. O ex-prefeito de Gravatá disse que deixou kits com papel toalha, dispensadores de álcool, termômetros digitais, face shield, álcool em gel e até sabonetes líquidos.

Joaquim disse que a única coisa que não deu tempo comprar foram as máscaras, não faltando mais nada, além disso. Joaquim disse que está havendo falta de competência programar a volta das aulas da rede municipal sem haver planejamento.

OBRA ABANDONADA:

O ex-prefeito de Gravatá lamentou a obra da escola de referência municipal, que estava sendo construída nas imediações do terminal rodoviário.

Dependemos dessa publicidade para existir aguarde 10 segundos para ler a notícia
Publicidade obrigatória p/ não assinantes