Isolamento social pode mudar hábito de consumo e impactar na conta de energia

A aquisição de novos equipamentos eletroeletrônicos e, principalmente, o comportamento de consumo, são os fatores que mais impactam no valor da conta de energia. Em tempos de isolamento social para conter o avanço do coronavírus, a permanência de mais pessoas dentro de casa alterou a forma como as famílias consomem energia. O resultado dessa mudança de rotina diária tem reflexos diretos na fatura, mesmo sem reajuste na tarifa de energia. Para não ser surpreendido no fim do mês, o cliente deve estar atento, adotar hábitos de consumo consciente para evitar desperdícios e adequar o valor da conta ao orçamento doméstico.

“O consumidor precisa estar consciente que se não houve incorporação de novos aparelhos eletrônicos na residência, a resposta para uma eventual evolução da conta pode estar associada a uma mudança no comportamento de consumo”, comenta Artur Costa, engenheiro de Eficiência Energética da Celpe. Em casa, praticamente em tempo integral, não é incomum que as pessoas abram e fechem a geladeira com mais frequência, acionem equipamentos elétricos – tais como micro-ondas ou ar condicionado – mais vezes ou deixem as crianças utilizarem vídeo game e assistirem TV durante mais tempo do que o normal.

Esses hábitos estão diretamente relacionados ao consumo de energia. Por isso, a Celpe, empresa da Neoenergia, reforça as dicas de consumo consciente e lembra que, independentemente do isolamento social, sempre é possível adequar alguns hábitos e atitudes no dia a dia, minimizando o impacto da conta.

Confira as dicas de economia de energia da Celpe:

  • Fique de olho em vários aspectos da geladeira: verifique sempre o estado das borrachas de vedação da geladeira, a fim de evitar desperdício de energia. Um teste prático é colocar uma folha de papel e fechar a porta do refrigerador. Se a folha ficar presa pela borracha, a vedação está adequada. Se a folha cair, a borracha não está com vedação adequada, o que significa maior gasto de energia. Não coloque comida quente na geladeira nem seque roupas atrás do eletrodoméstico, pois há risco de choque elétrico e também não é recomendando forrar as prateleiras para não dificultar a circulação do ar;
  • Evite usar a função stand-by dos aparelhos: nunca deixe os aparelhos ligados na tomada em “stand-by”, o famoso “modo espera” que permite ligar o equipamento diretamente. Não há necessidade de continuar consumindo energia se você não os está utilizando. Prefira tirar o eletrodoméstico da tomada quando não estiver em uso, mesmo que você não ache prático. Neste caso, a comodidade não compensa o desperdício;
  • Escolha lâmpadas LED: mesmo que as lâmpadas LED sejam um pouco mais caras, a economia de longo prazo compensa os custos iniciais porque elas duram mais e consomem até 80% menos que as lâmpadas convencionais. Dê preferência sempre às lâmpadas de LED. Retire as lâmpadas fluorescentes compactas queimadas do bocal. O reator acoplado pode consumir energia, caso o interruptor esteja ligado;
  • Utilize a função “timer” das TVs: evite dormir com televisores ligados. É um consumo de energia desnecessário. Se você já sabe que costuma pegar no sono assistindo à televisão, utilize a função “timer” ou “sleep”, presente na maioria dos modelos e programe o aparelho para que ele desligue sozinho;
  • Mantenha temperatura agradável do ar condicionado: para economizar energia, não é preciso sofrer e desligar o ar condicionado no calor. Deixar o aparelho em uma temperatura estável refresca e ajuda a reduzir o valor das contas. Uma dica é regular o termostato para uma temperatura confortável, entre 23 e 25 graus;
  • Desligue o computador se não for utilizá-lo dentro de uma hora: algumas pessoas acham que deixar o computador ligado 24 horas consome menos energia do que ligá-lo e desligá-lo a cada uso, mas não funciona assim. O monitor pode ser desligado sempre que o usuário se ausentar do ambiente. Se as pausas entre os usos forem longas, de mais de uma hora, por exemplo, o ideal é desligar tudo. Se puder, opte por laptops, que costumam ser mais econômicos;
  • Fique de olho no carregador de celular: não deixe o carregador de celular na tomada sozinho ou depois que o aparelho estiver completamente carregado. Além de evitar acidentes domésticos, ele consome energia elétrica;
  • Aproveite a luz natural: além de ser confortável para os olhos, aproveitar a luz natural do dia ajuda a reduzir o desperdício de energia. Evite acender luzes em ambientes já naturalmente iluminados, dê preferência por lugares com janelas amplas e paredes claras;
  • Adquira aparelhos elétricos eficientes (e use com eficiência): eletrodomésticos mais antigos costumam ser menos eficientes. Se puder, substitua-os por aparelhos mais novos e com selo Procel de eficiência energética. Isso irá ajudar muito na economia de energia e na redução das contas. Pesquise os modelos e potências para saber quais são mais eficientes. Na hora de usar, estude o manual para maximizar o uso e minimizar o gasto de energia.

Sobre a Celpe

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), empresa da Neoenergia, distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,7 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).