Ingratidão ou frustração? Por qual razão, algumas pessoas criticaram kits de alimento distribuídos pelo prefeito de Gravatá?

Ingratidão ou frustração? Por qual razão, algumas pessoas criticaram kits de alimento distribuídos pelo prefeito de Gravatá?

Quem acessou as redes sociais de pessoas residentes em Gravatá, agreste, pode observar um bombardeio de críticas por conta dos alimentos distribuídos pela Secretaria Municipal de Educação, por determinação do prefeito Joaquim Neto (PSDB).

Os alimentos, foram comprados com recursos próprios da prefeitura e foram entregues nesta quinta (2) conforme havia sido anunciado pelo gestor. Desde sempre o prefeito informou que não seriam ‘cestas básicas’, que os kits eram compostos apenas por cinco itens, e seu conteúdo era baseado no cardápio escolar.

Desde que o prefeito anunciou a entrega dos alimentos, numa parceria com a empresa NATURAL DA VACA, muitas pessoas criaram uma expectativa de que o kit alimentar se tratava na verdade de uma ‘cestas básicas’, o que nunca foi verdade.

Antes de mais nada é importante lembrar que os kits, apesar de serem simples, foram distribuídos dentro da proporcionalidade, obedecendo critérios, e principalmente levando em consideração os mais de 7 mil alunos matriculados na rede municipal de ensino.

O mundo não mudou. As pessoas continuam ingratas, de tal forma como há dois milênios, quando o próprio Jesus Cristo foi trocado por 30 moedas de prata e trocado por um ‘ladrão’. Mesmo diante de tantos milagres que Jesus realizou em toda judeia, o seu povo o condenou a morte. O mesmo povo, que Jesus dividiu um pão e um peixe, de forma multiplicada, foi o mesmo povo que o trocou por Barrabás.

Em Gravatá, as pessoas em vez de agradecem, o pouco o que receberam, logo trataram de usar as redes sociais para fazer o que mais sabem fazer: propagar o ódio em palavras e frases que depreciam até o maior dos egoístas.

Deveriam entender que a merenda é pouca, e não se compara a demanda de uma rede estadual, onde o número de alunos e recursos é maior do que a de uma cidade de pequeno porte, com pouco mais de 7 mil alunos matriculados.

O prefeito fez a parte dele. Dividiu o pouco que havia sido comprado com o povo carente da cidade. Os que verdadeiramente tem a humildade implantada no coração desde berço, mais se passará para criticar um ato solidário, mesmo que este ato seja de apenas entrar um pacote de munguzá. Pois, o pouco com Deus é muito, e o muito sem Deus e humildade não é nada.