Gravatá: Pré-candidatos estão abusando da boa vontade do Ministério Público Eleitoral

  • Gravatá: Pré-candidatos estão abusando da boa vontade do Ministério Público Eleitoral
  • Gravatá: Pré-candidatos estão abusando da boa vontade do Ministério Público Eleitoral
  • Gravatá: Pré-candidatos estão abusando da boa vontade do Ministério Público Eleitoral
  • Gravatá: Pré-candidatos estão abusando da boa vontade do Ministério Público Eleitoral

Os pré-candidatos estão soltos e folgados nas redes sociais, abusando descaradamente dos dispositivos legais do Ministério Público de Gravatá, agreste pernambucano.

A reportagem do Pernambuco Notícias teve acesso a publicações feitas por pré-candidatos com material publicitário ligado diretamente a pretensas candidaturas ao legislativo municipal.

Os pré-candidatos estão divulgados (com o próprio número de telefone) ‘cards’ com cores partidárias, fotos, logomarca de partidos e freses de efeito. As imagens foram printadas de grupo público criado no WhatsApp e amplamente compartilhado para outros canais sociais. É possível ver que são os próprios candidatos que estão divulgado material publicitário.

E Lei Eleitoral é clara, a propaganda eleitoral extemporânea é uma infração aos princípios básicos da isonomia do processo eleitoral. Os pré-candidatos estão querendo tirar vantagem antecipada do pleito que ‘possivelmente disputarão’.

Enquanto alguns pré-candidatos estão respeitando o calendário eleitoral, outros, por maldade ou falta de conhecimento, estão abusando do Ministério Público Eleitoral.

Vale lembrar, que o crime de propaganda e eleitoral antecipada não configura apenas quando o pré-candidato faz campanha citando ‘número’ ou pedindo voto, mas quando ele usa da má fé para enaltecer de forma ‘demasiada’ o desejo de candidatura e suas qualidades como político.