Gravatá: idosos denunciam clínica e querem dinheiro de volta

As vítimas alegaram que foram tratados com desprezo pelas recepcionistas e por essa razão decidiram registrar queixa na DEPOL.

Um idoso de 62 anos, identificado como Izamar José, compareceu a Delegacia de Polícia Civil de Gravatá, agreste central, queixando que sua esposa, uma idosa de 65 anos, havia maltratada durante atendimento em clínica instalada na cidade.

Damiana Maria da Silva teria sido submetida a exame de endoscopia digestiva no último dia 05 de fevereiro e cinco dias depois voltou à clínica para proceder mais um exame, sendo que desta vez uma colonoscopia. A idosa teria sido levada para sala, onde fez uma lavagem intestinal e foi orientada a passar 36 horas sem comer nada.

No dia do exame, a paciente chegou às 9 horas e ficou até as 13h30 aguardando o médico para fazer o exame. O único médico presente na clínica teria chegado ainda pela manhã, mas saiu por volta das 10h20 sem dar qualquer satisfação a vítima.

O marido da mulher relatou que após esperar todo este tempo, e vendo a angustia da esposa, decidiu levar sua mulher para clínica em Recife, localizada no Shopping Rio Mar. Agora, o homem quer o reembolso de todo investimento feito na clínica de Gravatá, já que pagou para realizar exame que não foi feito. As vítimas alegaram que foram tratados com desprezo pelas recepcionistas e por essa razão decidiram registrar queixa na DEPOL.