Dicas para brasileiros que enfrentam a pandemia da Covid-19 no exterior

Dicas para brasileiros que enfrentam a pandemia da Covid-19 no exterior
CRÉDITO DA FOTO: Pixabay

A Covid-19 – o novo coronavírus – vem dominando as pautas do mundo todo. No Brasil, o clima começou a ficar mais tenso quando os primeiros casos surgiram, oficialmente, no primeiro trimestre.

Desde então, os governos estaduais começaram a estabelecer medidas restritivas para conter o contágio, limitando a circulação de pessoas.

Alguns brasileiros, no entanto, estão passando por isso desde o fim do ano passado. É o caso de quem está morando fora do país para estudar e/ou trabalhar.

Muitas são as dúvidas: é necessário voltar para a casa? Como fazer isso? Quem procurar no caso de perceber os sintomas da doença?

Para responder essa e outras questões, confira a lista de orientações para facilitar a vida de quem está fazendointercâmbio durante a pandemia ou de quem já fixou residência no exterior.

Manter contato com a família e amigos

O primeiro passo é entrar em contato com os parentes não só para tranquilizá-los, como também para decidir o que fazer nesse momento de incertezas.

O contato frequente vai ajudar o viajante a enfrentar o distanciamento social enquanto a situação não se resolve. Além disso, será um meio para avaliar quando será necessário fazertransferências internacionais para envio ou recebimento de dinheiro.

Manter comunicação com os amigos conquistados durante a estadia no exterior também é muito importante. Por dominarem o idioma, eles podem esclarecer eventuais dúvidas que podem surgir diante das recomendações das autoridades locais.

Seguir as recomendações locais

Antes de mais nada, é importante manter-se seguro. Para isso, é fundamental seguir as orientações do governo local sobre distanciamento social e evitar problemas maiores.

Em alguns países, há o risco de prisão para quem burlar as regras. Portanto, é importante ficar em casa e sair o mínimo possível, seguindo todas as normas de segurança, de acordo com o que for estabelecido no país.

Acessar o site do Itamaraty

O Ministério das Relações Exteriores estabeleceu um Grupo Consular de Crise para assistência de viajantes brasileiros afetados pela crise da Covid-19.

Na página do Itamaraty na internet existe um formulário que deve ser preenchido por quem está fora do país durante a pandemia.

Nesse documento, os brasileiros deverão informar, entre outros dados, qual a situação geral do país onde estão, se tem passagem marcada de retorno ao Brasil ou a possibilidade de extensão da estadia no país.

No site, também é possível encontrar os telefones de contato para emergências no exterior.

Importante acompanhar os perfis das embaixadas ou consulados nas redes sociais. Neles, há informações sobre medidas de restrição de circulação determinadas pelo governo local, voos de volta ao Brasil, medidas de apoio a brasileiros no exterior e contatos dos agentes consulares brasileiros.

Outro canal disponibilizado para os brasileiros que moram ou estão em viagem para o exterior é o Disque 100, que foi ampliado para receber denúncias de violação de direitos durante a crise provocada pelo Covid-19.

Esse serviço pode ser utilizado por quem está em 50 países, entre eles, Itália, Estados Unidos e Espanha. As informações podem ser consultadas por meio da página do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Procure os serviços de saúde

Caso o viajante apresente dificuldade para respirar ou febre persistente, é preciso procurar o sistema de saúde local para ser atendido e diagnosticado corretamente.

Em alguns países, a recomendação é de que o primeiro contato seja feito via telefone para que os profissionais de saúde façam o atendimento em domicílio. Portanto, é fundamental acompanhar o noticiário local e estar atento às recomendações.

Precauções

A recomendação para os brasileiros no exterior, além de seguir as orientações locais, são:

  • Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas respiratórios;
  • Em caso de sintomas, informar detalhadamente aos serviços de saúde o histórico da viagem;
  • Ficar em casa ou no hotel se estiver doente;
  • Adotar as medidas de precaução padrão;
  • Lavar as mãos com frequência, especialmente, antes de ingerir alimentos, após usar transporte público ou visitar locais com muita circulação. E na falta de água e sabão, usar álcool em gel 70%;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos, pratos e talhares;
  • Evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam devidamente higienizadas;
  • Proteger a boca e o nariz com um lenço descartável ou com o braço ao tossir ou espirrar;
  • Lembrar que notas de papel moeda e aparelhos celulares são fontes de contaminação, portanto, a atenção deve ser redobrada com a higienização das mãos.

Caso a pessoa esteja retornando ao Brasil de uma área com muitos casos de contaminação pelo Covid-19, é importante ficar atento aos sintomas e procurar atendimento médico assim que aparecerem. O histórico da viagem deve ser detalhado ao profissional de saúde para o diagnóstico correto.

Além das precauções-padrão, é preciso ainda manter-se em quarentena por 15 dias após retornar, mesmo sem apresentar sintomas da doença, e evitar o contato com outras pessoas caso esteja com sintomas respiratórios.

Por Experta media.