Brasil

Dezembro Verde: 10% dos cães sem lar no mundo vivem pelas ruas do Brasil

A realidade é mais triste do que nunca: o abandono de animais aumentou durante a pandemia.  Já que o número de adoções foi maior no início do isolamento social, acredita-se que muitas pessoas usam a pandemia como desculpa para abandonar seus pets quando, porém, na verdade, a “atitude criminosa” é apenas a constatação posterior de que ter um animal de estimação, seja cão ou gato, é algo que dá trabalho e requer muita paciência e disponibilidade.

O Dezembro Verde foi criado justamente para conscientizar os tutores sobre a importância de não abandonar seu companheiro. O mês escolhido se deu pelo fato de que esse índice cresce ainda mais no período de férias, chegando a aumentar em até 70% em alguns municípios. Ou seja, temos aí dois fatores importantes neste debate: o abandono durante a pandemia e aqueles inúmeros casos de pets deixados para trás durante o período de descanso das famílias.

“É triste, mas é a pura verdade. Muitas pessoas viajam nas férias e descartam os animais em qualquer local, até nas estradas. O Dezembro verde objetiva também combater esse crime, por isso é tão importante que tenhamos o apoio da sociedade para fiscalizar e conscientizar amigos, vizinhos e conhecidos”, diz Luana Sartori, veterinária da Nutrire e responsável pela Monello Select.

Segundo uma pesquisa feita pela Associação Veterinária Mundial, há cerca de 200 milhões de cães abandonados no mundo. No Brasil, segundo a OMS, existem 30 milhões de animais em situação de rua e a grande maioria foi vítima de abandono. Existe no Brasil uma população canina de 55,2 milhões e uma felina de 22 milhões, segundo estimativas do IBGE. No entanto, nem todos esses animais possuem um lar definitivo, por isso são chamados de animais em situação de rua.

Vídeo para conscientizar sobre a crueldade do abandono

A Nutrire criou um vídeo que visa sensibilizar as pessoas contra o abandono animal, mais ainda nesses tempos de quarentena. “Queremos que as pessoas percebam ao redor e não apenas sintam pena, mas façam algo pelo cachorro largado à própria sorte. Se não for possível adotar, que trate, leve ao veterinário e busque um lar para esse bichinho”, diz Leonardo Oliveira, um dos idealizadores da campanha. 

Recentemente, a Nutrire doou 4 toneladas de ração para ONG´s de Minas Gerais, estado onde fica uma das sedes da indústria, que também faz ações na sua base natal, no Rio Grande do Sul.  

“Estamos fazendo nossa parte e convidamos a todos que façam também. Apoie as pessoas que resgatam esses animais na sua cidade, busque as instituições que precisam de ajuda e, se não puder doar alimento, ofereça seu tempo para cuidar desses cães e gatos tão necessitados. E, claro, se presenciar casos de abandono ou agressão, denuncie imediatamente”, pede Oliveira.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Desative seu bloqueador de anúncio