Com popularidade em alta, poker se torna carreira de vários nordestinos

Era imaginável pensar no início dos anos 2000 que o poker pudesse se tornar uma profissão de várias pessoas. Essa realidade chegou há algum tempo e existem muitos nordestinos que disfrutam do poker como principal profissão.

Apesar do poker ser profissão para vários, ele não significa que é um jogo voltado apenas para quem o domina. A maioria dos competidores que jogam são considerados recreativos, ou seja, que não necessariamente têm alto domínio sobre as teorias avançadas do poker. Sendo assim, a modalidade é bastante praticada em clubes especializados e muito convidativa para curiosos.

Centenas de nordestinos já atingiram o status de profissional do poker e se destacam a nível nacional. A região também tem alguns dos melhores do país cartas e que já ultrapassaram a casa do R$ 1 milhão em premiação na carreira. Abaixo, listamos os principais.

Bruno Foster

Seis brasileiros já conquistaram um título do World Series of Poker (WSOP), que é considerado a Copa do Mundo desse esporte. No entanto, nenhum jogador do país foi campeão no evento principal, que é o principal torneio do circuito e que, claro, só acontece uma vez por ano.

Quem chegou mais perto da façanha foi Bruno Foster, cearense que em 2014 ficou em oitavo lugar no evento principal do WSOP realizado em Las Vegas. Com o feito, ele fez a mesa final do torneio, que foi disputada entre os nove primeiros.

Apesar de ter sido eliminado logo de cara na mesa final, a façanha de Foster foi espetacular, visto que o evento contou com a participação de 6.683 jogadores.

Com o feito, Foster embolsou a quantia de US$ 947 mil, que foi de longe a maior premiação do jogador e a segunda maior da história do Brasil — atrás apenas do título de Roberly Felício em um evento secundário do WSOP que lhe rendeu US$ 1 milhão.

Além da espetacular campanha no WSOP de 2014, Foster obteve outros bons resultados na carreira. Ele já foi campeão, por exemplo, de um evento da variante Omaha durante uma etapa do WSOP International Circuit realizado em 2016 em São Paulo.

Ariel “Bahia” Celestino

Conhecido carinhosamente como “Bahia”, Ariel é um soteropolitano que está consolidado como um dos melhores do mundo nas cartas. Especialista em grandes competições ao vivo, só neste ano ele já viajou para países como Estados Unidos, Canadá, Argentina, Mônaco e outros para jogar poker.

No Global Poker Index (GPI), que é um dos rankings mais respeitados do poker mundial, Ariel ocupa posição de muito destaque. Na atual temporada, ele é o líder do ranking, à frente de competidores como João Simão, Pedro Padilha e André Akkari.

No âmbito mundial, Ariel está em 71º e é o único competidor brasileiro entre os 100 primeiros. Com tamanho sucesso, o jogador também é craque no poker online e tem mais de 10 anos de carreira.

Oderlândio Moura

Mais um cearense na lista, Oderlândio tem muita reputação no poker nordestino e é outro jogador de currículo impressionante. Experiente em competições do BSOP e de vários circuitos de grande magnitude, ele é conhecido pela comunidade do poker nacional.

Assim como Foster, Oderlândio já foi campeão do WSOP International Circuit realizado em São Paulo. Em 2016, o cearense conseguiu o feito e embolsou R$ 750 mil na sua maior premiação da carreira.

No ano seguinte, Oderlândio ficou entre os cinco primeiros colocados de um evento high roller do BSOP — tipo de torneio que junta apenas os competidores que investem pesado para entrar. Com a excelente colocação, ele ganhou US$ 33 mil.

Oderlândio também tem experiência no Kings Series of Poker (KSOP), circuito que só está atrás do BSOP em termos de relevância no poker nacional. Neste ano, ele ficou em quarto em um evento high roller realizado em Natal.

Pablo Brito

Quando o assunto é poker online, ninguém no Brasil supera Pablo Brito. O baiano é o atual número um do país e tem ganhos superiores a R$ 10 milhões apenas com os prêmios na modalidade digital.

Atual número 14 do mundo, Pablo vive o auge da carreira e sonha em algum dia chegar ao topo do ranking mundial. A carreira do jogador é impressionante há tempos, visto que em 2012 ele já representava a seleção brasileira em torneio latino-americano.

A vivência de Pablo no poker online é muito grande e sua reputação na modalidade é enorme. Com uma carreira que já beira uma década de existência, ele tem tudo para chegar ao topo mundial.

Alen Fillipi

Atual campeão nordestino pelo Nordeste Poker Series (NPS), circuito que teve várias etapas no ano passado, o alagoano Alen Fillipi está entre os maiores destaques da região.

Em comparação aos outros jogadores citados na lista, Alen não tem uma carreira tão grande e está apenas nos seus primeiros anos de poker profissional, no entanto, o alagoano já tem um excelente currículo.

Além de ser o atual campeão do NPS, que é um circuito muito relevante no cenário mundial, Alen também tem a chance de se tornar o campeão do KSOP neste ano — outro circuito bastante prestigiado.