Chã Grande está entre as 98 cidades sem análises de amostra de água para consumo humano

O Ministério Público de Pernambuco obrigou a prefeitura de Chã Grande, através do Prefeito Diogo ALEXANDRA (PR) e o Secretário de Saúde, Marcos Amorim Paiva, a preencherem os formulários do SISÁGUA, que visa analisar e garantir qualidade no fornecimento de água para consumo humano na cidade.

Segundo informações, a cidade de Chã Grande está entre as 98 de Pernambuco que entre 1 e 31 de janeiro deste ano não apresentaram informações sobre análises de amostras de água.

A iniciativa visa reduzir os riscos de doenças de transmitidas pela água consumida pelos moradores da cidade. A prefeitura está obrigada a enviar a cada três meses o relatório que comprova a obediência da decisão do Ministério Público.

A secretaria de saúde deverá notificar a COMPESA caso seja detectado resultado de análises de água em desconformidade com os padrões do Ministério da Saúde. Caso a gestão não cumpra as cláusulas do TAC correrá o risco de pagar R$ 998 reais por dia de descumprimento.