Câmara de Gravatá abre sindicância para apurar documento possivelmente falso apresentado por Luiz Prequé em processo

A Câmara Municipal de Gravatá abriu uma sindicância para apurar a probabilidade de o vereador Luiz Prequé (PSD) em processo civil movido por ele contra o vereador e presidente da Câmara Léo do AR (PSDB). Tal procedimento foi publicitado em entrevista do controlador-geral Josivan Xavier em entrevista ao programa JOTA SILVA, na Rádio Gravatá FM, nesta última quinta (28).

Josivan disse que está nos autos do processo há um documento que não foi recebido oficialmente na Secretaria de Câmara Municipal. Câmeras de vigilância da Casa Elias Torres, sede do Poder Legislativo, não teriam registrado a entrada de nenhuma pessoa na secretaria para protocolar documentos destinados por Luiz Prequé.

banner prefeitura são joao

O setor de tecnologia e jurídico da câmara analisou as filmagens e relacionou todas as pessoas que entraram no prédio no dia em que, suspostamente, o documento foi protocolado. Se for confirmado que o documento foi assinado na coxa, o responsável pela falsificação poderá ser indiciado criminalmente conforme o Art. 297 do Código Penal Brasileiro, que estipula como pena reclusão de dois a seis anos, e multa por falsificar, no todo ou em parte, documento público, ou qualquer documento público verdadeiro.

Dependemos dessa publicidade para existir aguarde 10 segundos para ler a notícia
Publicidade obrigatória p/ não assinantes